A tricomoníase, uma DST (doença sexualmente transmissível), pode ser mais recorrente em mulheres acima dos 40 anos do que entre as mais jovens.

O estudo da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, em Maryland (EUA), envolveu 7.593 americanas de 28 Estados, com idade entre 18 e 89 anos.

Deste grupo, 8,7% deram resultado positivo para a doença, mas a DST predominou entre as mulheres mais velhas: 11% entre as de 40 anos e 13% entre as de 50.

“Geralmente imaginamos que as DSTs ocorrem mais entre as jovens, mas nosso estudo claramente mostra que mais mulheres de idade avançada estão infectadas”, comenta Charlotte Gaydos, que participou da pesquisa.

A tricomoníase é causada pelo parasita Trichomonas vaginalis e o seu tratamento é feito com antibióticos. Se não tratada, contudo, a DST pode causar inflamações pélvicas e complicações durante a gravidez.

Os doentes podem não apresentar sintoma algum, mas os sintomas mais comuns é a ocorrência de corrimento na vagina ou no pênis, com irritação ao urinar e coceira nos órgãos genitais.

O documento também indica que, nos EUA, as mulheres negras estão três vezes mais propensas a contrair a tricomoníase, se comparadas a caucasianas.

O estudo foi apresentado nesta terça-feira em um encontro anual da Sociedade Internacional para Pesquisa de DST, em Québec, no Canadá.

A disparidade tem origem em diferenças educacionais e econômicas.

FOLHA ONLINE

Related Posts with Thumbnails