Estudo analisou 36 tipos diferentes de câncer que afetam ambos os sexos. Na maioria dos casos, homens contraíram mais a doença
REDAÇÃO ÉPOCA, COM AGÊNCIAS

O câncer atinge mais homens do que mulheres, afirma um estudo da American Cancer Society. Segundo a análise, feita com 36 tipos diferentes de câncer que afetam ambos os sexos, mais homens foram diagnosticados e morreram da doença do que mulheres.

O estudo levantou dados dos casos de câncer entre 1977 e 2006 nos Estados Unidos. Leucemia, câncer de cólon e reto, pâncreas e fígado mataram até duas vezes mais homens do que mulheres. Além disso, o câncer de pulmão matou quase duas vezes e meia mais homens durante o perído do que mulheres.

Segundo os pesquisadores, mais homens morreram porque a quantidade de homens diagnosticados é maior, mas uma vez diagnosticado, a taxa de mortalidade do câncer é praticamente a mesma. A grande questão é saber porque homens desenvolvem câncer em porcentagens maiores do que mulheres.

O motivo dessa diferença ainda não está claro, mas segundo o líder do estudo, Michael Cook, parte dela pode ser explicada pelo estílo de vida, já que homens costumam se expor mais a situações de risco, como fumar e beber. Doenças relacionadas a prática do fumo, como câncer de boca e garganta, atingiram cinco vezes mais homens do que mulheres, por exemplo.

Além disso, mulheres cuidam mais da saúde e fazem exames com maior frequência, o que ajuda a diagnosticar mais cedo a doença. Diagnosticar o câncer em etapas iniciais é crucial para tratar a doença. Cook ressalta, entretanto, que o estilo de vida não é o único fator, e diferenças hormonais ou de metabolismo podem estar relacionadas. “Se pudermos identificar as causas da diferença entre os sexos na incidência e mortalidade por câncer, ações preventivas poderiam reduzir a quantidade de casos em homens e mulheres”, diz Cook.

BC

ÉPOCA

Related Posts with Thumbnails