Em relacionamentos maduros, o carinho é um fator que pode ajudar a prever a felicidade em homens

Em relacionamentos maduros, o carinho é um fator que pode ajudar a prever a felicidade em homens(Jupiterimages/ThinkStock)

Ao contrário do que ditaria o senso comum, beijos e abraços frequentes ajudam a prever a felicidade do homem em relacionamentos, mas não a das mulheres

Que beijos e abraços são ingredientes importantes para a longevidade de relacionamentos afetivos não é surpresa para ninguém. Mas quem diria que os homens prezam mais pelo carinho nas relações amorosas do que as mulheres? É o que revela um estudo da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, que entrevistou mais de 1.000 casais de cinco países — Alemanha, Brasil, Espanha, Estados Unidos e Japão. A pesquisa foi publicada no periódico Archives of Sexual Behaviour.

De acordo com os autores, o estudo é o primeiro a procurar entender como funcionam as questões sexual e de relacionamento em casais que estão juntos há muito tempo. Os participantes da pesquisa tinham entre 40 e 70 anos e estavam casados ou morando juntos há pelo menos um ano. Homens e mulheres responderam a um questionário específico para cada gênero, e não podiam compartilhar as respostas com o parceiro.

Conforme concluíram os pesquisadores, a felicidade em um relacionamento para os homens está ligada à saúde do indivíduo e aos orgasmos de sua parceira. Beijos frequentes e carinho, para a surpresa dos autores, também foram considerados fatores que ajudam a prever essa felicidade – mas não a das mulheres. De acordo com a pesquisa, ambos os sexos sentem-se mais felizes à medida que o tempo juntos aumenta. Os japoneses, no geral, são mais felizes em seus relacionamentos do que os americanos, e brasileiros e espanhóis demonstraram estar menos felizes do que os americanos.

Monogamia – A pesquisa mostrou ainda que homens que tiveram várias parceiras sexuais durante a vida demonstraram estar menos satisfeitos sexualmente. Geralmente, nos primeiros 15 anos de relacionamento, as mulheres demonstram menos satisfação sexual, mas, depois desse período, a satisfação aumenta. “Possivelmente, as mulheres ficam mais satisfeitas sexualmente com o tempo porque suas expectativas mudam, ou a vida muda com o crescimento dos filhos”, disse Julia Heiman, chefe da pesquisa.

O estudo também relatou que os homens têm maior tendência em dizer que estão satisfeitos com o relacionamento, enquanto as mulheres relacionam mais sua satisfação à questão sexual, ao contrário do que os pesquisadores esperavam. Julia reconhece, porém, que a satisfação entre casais pode não ser a mesma em todas as culturas. “O próximo passo é entender como a saúde de uma pessoa, a atração física e as experiências sexuais estão relacionadas à felicidade do casal e à sua satisfação sexual”, afirmou.

VEJA

Related Posts with Thumbnails