A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vetou a propaganda do DietMax, anunciado em sites como sendo um auxiliar à dieta de emagrecimento e à perda de peso. A proibição consta no “Diário Oficial” da União desta terça-feira.

Segundo a resolução da Anvisa, toda campanha do emagrecedor deveria ser imediatamente suspensa em qualquer veículo de comunicação.

Apesar do veto, o site oficial do produto funcionava normalmente e recebia pedidos de compra por volta das 18h30 de hoje.

A gerente Ana Cristina Santos, que conversou com a Folha, afirma que a propaganda que consta na internet vem de afiliados da empresa.

Questionada por que o produto era ainda anunciado no site oficial, ela afirmou que a empresa tiraria do ar a campanha a partir de amanhã (6), “quando o ‘Diário Oficial’ for publicado”.

Alertada sobre a publicação de hoje, a gerente não quis comentar e disse que o DietMax possui autorização para ser comercializado.

A assessoria de imprensa da Anvisa nega que o produto seja registrado e sua venda estaria, na prática, vetada.

O DietMax, fabricado pela Hile, é apresentado como sendo um fitoterápico, vendido em um conjunto com dois frascos, com 60 cápsulas em cada um, pelo preço de R$ 98.

A sua fórmula cita as substâncias psyllium, quitosana, biotina, gelatina e glicerina umectante e aroma natural de menta.

A Anvisa, porém, alerta sobre os riscos de se consumir um artigo sem registro, seja pela sua composição não checada, seja pela falta de informações sobre as condições de manipulação, embalagem e armazenamento do produto.

 

FOLHA ONLINE

Related Posts with Thumbnails