Marina Della Valle/Folhapress
Gêiser do campo de El Tatio jorra água quente e solta coluna de fumaça na madrugada, ainda com a lua no céu Foto: Marina Della Valle/Folhapress

Gêiser do campo de El Tatio jorra água quente e solta coluna de fumaça na madrugada, ainda com a lua no céu Foto:

As páginas da Wikipedia sobre o campo de gêiseres de El Tatio em inglês e espanhol desmentem já de cara uma informação comumente divulgada sobre essa atração: não, não é a formação do tipo em local mais alto do mundo.

Situado a 4.200 metros de altitude, El Tatio, no deserto de Atacama, é, de fato, o maior campo de gêiseres do hemisfério Sul. E o terceiro maior do mundo, atrás de Yellowstone, nos EUA, e Dolina Giezerov, na Rússia.

De qualquer maneira, gêiseres são um fenômeno raro no planeta, e a visita a El Tatio é imperdível para quem está no Atacama. A questão é que essa é provavelmente a excursão mais trabalhosa de todas as da região.

Isso porque os mais de 80 gêiseres que formam o campo de El Tatio apresentam maior atividade entre 6h e 7h. É preciso chegar ainda de madrugada –e, a 4.200 metros de altura, isso significa frio, muito frio.

Na visita da reportagem, no meio de maio, a temperatura antes do nascer do sol atingiu -15 ºC, exigindo roupas térmicas, gorro, luvas, cachecol e casaco para neve.

Ainda no escuro, é possível ver o vapor subindo de diversos pontos do terreno à frente. São as chamadas “fumarolas”, colunas de vapor criadas pela água quente –a 85 ºC– que jorra dos gêiseres em intervalos minutos.

CADA UM NA SUA

Conforme o dia vai amanhecendo, o visitante percebe que os gêiseres são um tanto diferentes entre eles.

Há os que se parecem com poças rasas, onde os jorros saem da água. Há os menores, que soltam só fumaça. Um deles é do tamanho de um pequeno lago, onde os mais corajosos arriscam um banho. Há os que soltam jorros de lama. E os que exalam odor de enxofre.

Alguns apresentam acúmulo de sedimentos ao redor, formando padrões curiosos. Há os que acumularam uma boa quantidade de depósitos –os mais antigos, segundo o guia–, ficando com o aspecto de pequenos vulcões coalhando uma paisagem cercada por imponentes vulcões verdadeiros.

Com o sol já forte, a paisagem mais uma vez tem um ar extraterreno –campos cortados colunas de fumaças, enquanto a luz vai mudando os tons dos picos ao redor.

Marina Della Valle/Folhapress
Gêiser do campo de El Tatio, no Chile, jorra água quente e solta coluna de fumaça
Gêiser do campo de El Tatio, no Chile, jorra água quente e solta coluna de fumaça

MARINA DELLA VALLE
ENVIADA A SAN PEDRO DE ATACAMA

Folha Online

Related Posts with Thumbnails