Ministro da Agricultura, Gado e Pesca da Argentina, Julián Dominguez (de terno), em foto com a vaca clonada

Efe Ministro da Agricultura, Gado e Pesca da Argentina, Julián Dominguez (de terno), em foto com a vaca clonada

 

Um instituto argentino anunciou a criação da primeira vaca clonada transgênica que incorpora genes humanos com o objetivo de produzir leite com propriedades nutritivas semelhantes às do leite materno.

“A vaca clonada, que se chama Rosita ISA, é o primeiro bovino naquele país a obter genes humanos incorporados ao seu código genético, que são capazes de codificar as proteínas presentes no leite materno”, disse o INTA (Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária) por meio de um comunicado.

A vaca foi apresentada em teleconferência com a Casa Rosada, sede do governo argentino, onde a presidente Cristina Kirchner disse ter rejeitado a “homenagem” de ter a vaca batizada com seu nome.

“Vieram me dizer que o nome seria Cristina, mas que mulher gostaria de ter seu nome numa vaca? Por isso me pareceu mais apropriado que a batizassem de Rosita”, disse a presidente.

Rosita ISA nasceu em 6 de abril, por cesariana, devido ao seu peso excessivo (45 kg). “Geralmente os bovinos da sua raça (Jersey) não passam de 22 kg”, divulgou o instituto.

“O objetivo é elevar o valor nutritivo do leite bovino pela produção da proteína lactoferrina [é antibacteriana e antiviral] e da lisozima [também antibacteriana]”, disse em entrevista a jornalistas Adrián Mutto, um dos pesquisadores.

A clonagem realizada pelo INTA teve a participação da Universidade Nacional de San Martín.

DA FRANCE PRESSE

Related Posts with Thumbnails