Preparador físico José Rubens D’Elia ensinou truques para soltar o quadril.
Bem Estar também foi até Recife para acompanhar a festa de São João.

Do G1, em São Paulo

Fazer exercício é sempre bom, mas, para torná-lo ainda mais adequado aos objetivos de cada pessoa, é preciso prestar atenção no que comer antes e depois. Se a atividade for intensa e durar mais de uma hora, é recomendado também tomar algo durante a prática.

No estúdio do Bem Estar desta sexta-feira (24), estiveram presentes a nutricionista esportiva Patrícia Bertolucci e o preparador físico José Rubens D’Elia, que ensinou truques para soltar o quadril, arrasar no forró e queimar calorias.

Comer exercício (Foto: Arte/G1)

O programa também foi até Recife para acompanhar a festa de São João e provar todas as delícias típicas desta época: pamonha, canjica, pé de moleque e bolo de milho, entre outros quitutes. Mariana Ferrão e Fernando Rocha conferiram, ainda, o batimento cardíaco de 50 pessoas que dançaram quadrilha no “arraiá”.

Comer antes do exercício não faz nenhum mal, desde que não se abuse da quantidade. Quem passa do limite pode engordar e se sentir mal, pois a digestão fica mais difícil. Mastigar bem e comer devagar ajuda a processar os alimentos e melhorar o desempenho.

Quando alguém ingere algo após a primeira hora de movimentos, repõe 60% da energia gasta. Depois de 24 horas, tudo volta ao normal. Caso a atividade seja muito exaustiva, no dia seguinte é indicado comer a cada 2 horas.

Durante o exercício, deve-se tomar água e, depois dele, é importante consumir carboidratos, que são uma fonte de energia. Já a proteína é necessária para manter o corpo forte. Às vezes, o indivíduo que se movimentou demais não sente fome, pois se desidratou e teve a temperatura do corpo muito elevada, segundo a nutricionista Patrícia.

Ela destacou também que quem se exercita pela manhã, em jejum, pode sofrer um estresse maior e perder mais massa muscular.

Luteína
É uma proteína presente no milho e em outros alimentos de coloração amarela ou verde, como espinafre, brócolis, tomate, laranja e cenoura. Tem ação antioxidante, hidrata e protege a pele. Também pode ser útil no tratamento de degeneração da visão.

Recomenda-se a ingestão diária de 2 a 4 mg de luteína, ou seja, de 4 a 7 porções de frutas e hortaliças.

 

Related Posts with Thumbnails