A escolha do tipo de alongamento a ser feito depende dos objetivos de cada um e das condições e necessidades de cada corpo. O professor Mauro Guiselini resume a seguir as principais técnicas.

Tanto faz alongar antes do exercício, revela maior pesquisa já feita sobre tema

CORRETIVO

Usado para ajudar os músculos encurtados a recuperar o comprimento natural, melhorando a organização das articulações e a postura. A avaliação postural e a indicação dos exercícios deve ser feita por um especialista. Além de corrigir o desequilíbrio muscular, pode ser usado como prevenção.

ESTÁTICO

A extensão do músculo é conduzida até o início da sensação de desconforto (quando você percebe que, a partir daí, vai sentir dor) e a posição é mantida por cerca de 30 segundos.

MIOFASCIAL

O nome dá até medo, mas a técnica é bem amigável. É quase uma automassagem feita com rolos de espuma colocados sob as regiões tensionadas. Com o peso do próprio corpo, é feita uma pressão suave, por 20 a 30 segundos, nos ‘nós’ de tensão, para desfazer a contração.

DINÂMICO

Movimentos como o de dobrar um joelho estendendo a perna oposta são feitos de forma suave. Enquanto um grupo muscular contrai, o oposto se alonga. É mais indicado para atividades aeróbicas, treino funcional e esportes.

O QUE PODE AJUDAR

1 – Primeiro passo

É preciso identificar se há ou não a necessidade de alongar algum músculo ou cadeia de músculos, o que é feito por um profissional especializado. Um fisioterapeuta pode avaliar se a falta de alongamento está limitando a atividade esportiva, seja ela corrida, musculação, pilates ou qualquer outra.
Caminho 1: em alguns casos, os encurtamentos musculares são grandes a ponto de alterar a postura e modificar, por exemplo, a posição dos ossos. Nessas situações, a atividade física pode aumentar o risco de lesões e acelerar o aparecimento de patologias crônicas como hérnias de disco, artroses etc. O mais indicado é um tratamento fisioterapêutico.

Caminho 2: quando não há encurtamentos significativos, é só seguir adiante.

2 – Segundo passo

É a execução correta dos alongamentos. Para isso, é necessário organizar o corpo de forma a não machucar nenhuma articulação, com atenção especial para a coluna. Um músculo ou uma cadeia de músculos não devem estar relaxados durante o exercício de alongamento. Uma leve tensão é necessária para manter os ossos alinhados entre si, o que protege as articulações.

3 – Terceiro passo

É treinar o tempo todo consciente dos movimentos. Durante uma série de musculação ou uma caminhada, repetimos diversas vezes os mesmos movimentos. Se o corpo estiver organizado e alinhado durante essas repetições, o próprio treino se encarrega de manter os músculos em seu comprimento natural.

Fonte: LUIZ FERNANDO ALVES, treinador da clínica Força Dinâmica
formado em esportes pela USP com especialização em dor crônica e prevenção de lesões

Editoria de Arte / Folhapress/Editoria de Arte / Folhapress
Related Posts with Thumbnails