O Mariner of the Seas, da Royal Caribbean, é um dos maiores navios mundo e chega ao Brasil em fevereiro

O Mariner of the Seas, da Royal Caribbean, é um dos maiores navios mundo e chega ao Brasil em fevereiro

Os transatlânticos já começaram a chegar ao Brasil e a atual temporada vai se estender por sete meses, até maio de 2011.

Ao todo, 20 navios de passageiros aportam no litoral do país, trazidos por megaempresas como a Royal Caribbean, a Costa Cruzeiros, a Ibero, a MSC e a CVC.

Primeiro a chegar, o MSC Armonia, aportou em Santos (SP), vindo da Europa, no último dia 8 de outubro.

Estão previstas 415 aportagens para a temporada 2010/2011 e são mais de 20 as localidades da costa brasileira que receberão os transatlânticos. Eles fazem roteiros variados, em geral de uma semana — também há viagens de três, cinco ou nove noites.

Há ainda navios que visitam, além de destinos no Brasil, o balneário de Punta del Este; Montevidéu, a capital uruguaia; e a capital argentina, Buenos Aires.

Crescimento

A Abremar, associação de empresas de cruzeiros no país, estima que 885 mil passageiros brasileiros vão viajar nesta temporada — e diz
que a cidade do Rio deve ser a mais visitada, recebendo 507 mil cruzeiristas.

O número mostra aumento de 23% em relação à temporada anterior mostrando que o brasileiro está cada vez mais interessados nessa modalidade de viagem turística.

Entre os cruzeiristas, o índice de repetição é crescente. Há quem tenha feito um cruzeiro num transatlântico mais simples e agora quer experimentar um mais luxuoso; já outros gostam de repetir o navio e escolher portos que ainda não visitaram: cada viagem é única, tem sabor especial em função do roteiro, das pessoas e da época.

Quem nunca viajou num transatlântico deve ter em mente que embarcar num cruzeiro marítimo é como fazer, sem pressa, várias viagens numa só. O avião exige
antecedência de horas no check-in; o navio tem lá sua burocracia de embarque, mas, uma vez instalado na cabine, o passageiro relaxa e se despreocupa.

Imerso na variada e intensa programação do navio e vendo cidades desfilarem pela proa, o passageiro encontra tempo para passear, tomar sol, ler e, sobretudo, para sucumbir aos incessantes prazeres da boa mesa.

E é aí que mora o perigo: a oferta de refeições é tal que convém se organizar para fazer exercícios físicos, ir ao spa e à academia de bordo, nadar na piscina logo cedo, andar no piso superior da embarcação e em terra: vale tudo para queimar calorias.

Ao escolher a viagem, várias decisões são importantes. Começando pelo roteiro e pela escolha da embarcação — maior ou menor, mais ou menos luxuosa –, e prosseguindo pelo tipo de cabine — interna ou externa, com ou sem varanda.

Folha Online

Related Posts with Thumbnails